Introdução

O jogador em 1957 - Beira x LM - Visíveis, da esq: Passos Viana, Frederico, Abílio Moreira, Adrião e Velasco

Foi sem presunções literárias que decidi criar este Web Site para memória futura. Ele não passa dum produto português, mais propriamente, do Moçambique de antigamente, que visa transmitir a terceiros, atletas, treinadores, preparadores/físicos, dirigentes e demais agentes interessados, bem como os adeptos, por esse mundo fora, a experiência dum longo envolvimento com uma modalidade desportiva da qual sempre me assumi como praticante ao mais alto nível.

Sede do CFLM

Na eventualidade deste Site ser traduzido noutras línguas, os que acederem ao mesmo deverão ter em linha de conta a especificidade dessa mesma experiência. O que foi ou é válido para o nosso País, poderá não ser para os demais.

Em Lourenço Marques, desde garoto, durante uma década e meia, fui um atleta empenhado e simultaneamente, um treinador estudioso. Sem saber bem como, aos 22 anos, tornaram-me responsável pela preparação e orientação da equipa onde jogava, o Clube Ferroviário de Lourenço Marques, o CFLM, situação que se manteve durante os cinco anos seguintes em que, pela Selecção Nacional Portuguesa, alcancei os títulos de Campeão do Mundo, Campeão da Europa e Campeão Latino. Apesar de curta, essa minha actividade dúplice, de jogador/treinador, foi muito exigente e intensa, deixando sequelas ou melhor, trazendo-me um rol de questões que me obrigaram a ler e estudar o maior número de obras que se referissem à prática desportiva. Sou ainda hoje um espectador atento, observando, lendo, analisando e confirmando.

O acidente.

Em 1981, deixando definitivamente África, um ano após o acidente de trabalho em que um very-light defeituoso explodiu na minha mão direita, destruindo-a, ao praticar a escrita com a que me restou, fui escrevendo sobre o Hóquei em Patins e o manuscrito final foi eventualmente publicado pela Editorial Presença em 1982. Posteriormente, após passagens pela Associação Desportiva de Oeiras, pelo comando da Selecção Nacional de Angola, do Hockey Club Monza e do Sporting de Tomar, ao juntar as peças que vinha acumulando, concluí o “puzzle” que sempre me desafiou e a cuja imagem, agora mais ou menos completa, dou o nome O Carrossel, termo com que foi apelidada, há meio século, a circulação efectuada na pista pelos jogadores Moçambicanos da Selecção Nacional Portuguesa. A vida, pelos caminhos que tomou, só agora me permitiu meter ombros a esta tarefa, o que faço com a mesma paixão com que pratiquei a modalidade.

Todavia, o Carrossel não foi um simples nome, antes pelo contrário, foi o afloramento dum conceito táctico que se verificou a partir de 1956 quando, como treinador/jogador, fui dando forma, conscientemente, a uma teoria global que hoje avanço como ainda válida, até demonstração em contrário. Essa teoria, elaborada dia após dia, na prancheta, com desenhos da pista à escala, bem como as áreas de cobertura dos atletas, os trilhos mais percorridos, as estatísticas de incidências de jogo, pretendia abarcar e identificar não só os problemas que os jogadores da minha equipa enfrentavam sobre a pista, como também as respectivas soluções racionais e lógicas que lhes permitisse atingir o patamar mais elevado da prática da modalidade, o da Táctica Colectiva.

5 Responses to Introdução

  1. Jéjé says:

    Não gosto desta fotografia, porque sempre me entristeceu teres perdido estupidamente aquela mão que chegava até à ponta do setique. Não digo isto para diminuir a tua grande coragem e capacidade de recuperar, que esta página sobejamente testemunha,

  2. Velasco says:

    Olá Jéjé

    Curiosamente, esta fotografia não me traz recordações penosas. Ninguém controla os caminhos da vida e, o ter perdido a mão… Olha, trouxe-me até aqui! Na altura, num mecanismo de defesa, dei graças à sorte de não ter ficado cego, o que seria bem pior.

    Um abraço e até um dia. Obrigado

  3. Braga Borges ( S.C.L.M.) says:

    Recordo-me bem do encontro a que se reporta a 1ª foto. Beira x L.M. E digo-o porque antes deste jogo, jogámos nós, selecção de L.M.(juniores) com a congénere da Beira. Fiz parte da selecção de L.M. O jogo ralizou-se no campo do Sport Lisboa e Beira,(S.L.B.) Vencemos por 6 x 0.

  4. Jose Manuel belico pires says:

    Grande primo

    Fiquei muito contente ao ver a tua biografia e familia
    <um grande abraço
    telem 936613927

  5. Velasco says:

    Caro primo
    Agradeço o comentário, desejando-te e à família um Novo Ano próspero. Estou a terminar um capitulo sobre a África do Sul, onde o teu falecido irmão Chico aparece.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *